Toshio Shimada

Tsuru – (鶴) História e significado do pássaro da longevidade e da prosperidade

História e significado do pássaro da longevidade e da prosperidade com muitas lendas antigas e histórias contemporâneas enriquecendo com muita esperança esse símbolo.

O Pássaro (GROU)

Os tsurus ( 鶴 grou) são aves grandes, de cores contrastantes, plumagem clara, chegando ao branco, com extremos de fascinante degradê vermelho, e dotado de inigualável encanto. Beleza essa considerada sagrada pelos japoneses, cuja a crença é que o pássaro representa a vitalidade da juventude.

Foto do tsuru (鶴 grou)

Existem mais de 15 espécies de grous que habitam o planeta, porém o mais majestoso é o grou japonês (Grous japoneses), comum no leste asiático. Esta espécie, cujas penas são brancas e possui uma coroa vermelha no topo da cabeça , pernas e pescoço cumpridos que podem chegar a 1,5 m (5 pés) em média de altura, seu grande tamanho dissuade a maioria dos predadores e estão entre as mais raras do mundo.

No Japão – “Honorável Lord Crane

Maruyama Ôkyo – Japan (1733 – 1795) Era Edo

No Japão, este grou é conhecido como tanchōzuru e diz-se que vive por 1.000 anos. Um par desses pássaros foram usado no design da cédula de mil ienes. Em Hokkaido na Tsurui , eles são uma das 100 paisagens sonoras do Japão . Diz-se que os grous concedem favores em troca de atos de sacrifício, como em Tsuru no Ongaeshi (“retribuição de um favor do grou”) que vou contar mais detalhado em um próximo post.

Dada a sua reputação, Jerry Huff, um especialista em branding americano, recomendou-o como o logotipo internacional da Japan Airlines , depois de ver uma representação dele em uma galeria de brasões de samurai. Huff escreveu

“Eu tinha fé que era o símbolo perfeito para a Japan Air Lines. Descobri que o mito do guindaste era totalmente positivo – ele se acasala para a vida toda (lealdade) e voa alto por quilômetros sem se cansar (força).” 

O Kerry / Kuok Group de Robert Kuok também usa o guindaste com coroa vermelha como seu logotipo para operações em Hong Kong, Cingapura, RP da China e no exterior.

Você ja deve ter visto este pássaro em varias ilustrações japonesas relacionadas a decoração. E se tornou bem popular devido uma arte chamada de origami (a arte de dobrar papel) como um nome também usado como  Ori-zuru e Senbazuru que também são símbolos do Japão.

Na China

Bambu e Guindastes , de 
Bian Jingzhao exposto em Pequim produzido 1426–1435

Na China, o grou de coroa vermelha costuma aparecer em mitos e lendas. No taoísmo, é um símbolo também de longevidade e imortalidade. Na arte e na literatura, os imortais costumam ser retratados montados em grou pois de acordo com suas histórias um mortal que atinge a imortalidade é similarmente carregado por um grou. Refletindo essa associação, são chamados de xian-he ( 仙鶴, “grou de fada” ou “guindaste dos imortais”). O grou de coroa vermelha também é um símbolo de nobreza. Representações do grou foram encontradas nos túmulos da Dinastia Shang e na Dinastia Zhou . Um tema comum na arte chinesa posterior é o estudioso recluso que cultiva bambu e mantém guindastes. Alguns literatos até criaram grous e os treinaram para dançar música gugins, instrumento típico chinês.

Devido à sua importância na cultura chinesa, os grous foram selecionados pelo Departamento Florestal da China como candidato ao título de animal nacional da China. Esta decisão foi adiada devido à tradução do nome como “grou japonês”. 

Na Coréia

Na Coréia, o grou de coroa vermelha é chamado durumi ou hak e é considerado um símbolo de longevidade, pureza e paz. Os seonbis (sábios eruditos) coreanos consideravam o pássaro um ícone de sua constância. O grou de coroa vermelha está representado na moeda coreana de 500 won e é o símbolo de Incheon (cidade metropolitana da Coreia) .


Tatuagem

No Japão entre os tatuados japoneses os Tsurus são raros de encontrar alguém com uma tatuagem desse pássaro, e talvez seja pelo seu contexto histórico, estas tatuagens é mais fácil encontrar na América ou na Europa.

É muito comum você encontrar desenho de Tsuru com a aparência de origami como este da imagem abaixo pela simbologia mais contemporânea.

Na tatuagem tradicional japonesa a imagem do pássaro Tsuru não e muito usada, ela se tornou mais popular entre os estrangeiros, se você fazer uma busca pela internet vai encontrar muitos Tsuru tatuados por pessoas ocidentais.

Trabalho realisado por Whitney Caskey de Ruston, Louisiana USA

A lenda do Pássaro Tsuru

A lenda diz que os Tsurus podem viver até mil anos e, por isso, eles representam a longevidade simbolizando ainda a felicidade plena.

Conta a lenda que o tsuru podem viver mais de mil anos e junto com as tartarugas são os animais que mais vivem por isso eles representam a longevidade. Além disso os tsurus eram os companheiros dos eremitas que se refugiavam nas montanhas para meditar, acreditavam que essa ave mística ser um talismã poderoso, possuindo poderes sobrenaturais para não envelhecer. Na Ásia, a crença da juventude perdura até os dias atuais, onde essas aves simbolizam a mocidade eterna e a felicidade plena.

Inicialmente o origami do tsuru tinha apenas função decorativa, era utilizado para enfeitar o quarto das crianças. Mais tarde, o tsuru foi associado às orações, sendo oferecidos nos templos, acompanhados de pedidos de proteção. Hoje é usado como enfeite nas festas de ano novo, batizados, casamentos, entre outras comemorações.

No folclore japonês, o tsuru também simboliza o amor conjugal e a fidelidade, isso porquê esta ave é monogâmica, ou seja, depois que um casal de grous se une, só a morte os separa.

A lenda que é envolvida de amor e esperança.

Diz a lenda japonesa que se a pessoa fizer 1000 tsurus, usando a técnica do origami – arte de dobrar o papel, com o pensamento voltado para um desejo, ele poderá se realizar.

A arte do origami (dobrar papel) se inspirou nessa ave para criar uma de suas mais conhecidas formas, tanto que muitos também consideram o tsuru como o símbolo dessa arte japonesa. Até algum tempo atrás era comum encontrar no Japão pedaços de barbantes amarrados com vários desses tsurus de papel, que eram pendurados no teto para distrair os bebês ou deixados nos templos para pedir proteção.

Há também a crença de que cortinas produzidas com origamis de tsuru traz sorte e prosperidade à estabelecimentos comerciais. Em residências, essas cortinas têm a mesma simbologia, além de representar paz no lar e saúde para a família.

O Tsuru e o Dia da Paz

Em 1945, depois da explosão da bomba de Hiroshima, surgiram várias doenças no Japão, entre os sobreviventes da guerra.

A história verídica da pequena Sadako, ficou famosa Sadako Sasaki tinha apenas 2 anos quando a bomba atômica foi lançada sobre Hiroshima, no Japão, em agosto de 1945. Ela não se feriu e levou uma vida normal, inclusive praticando atletismo.

Em 1955, com 12 anos, após participar de uma prova de corrida, sentiu cansaço e tonturas. O mal estar não passou nos dias seguintes. Levada ao hospital, foi diagnosticada com a “doença da bomba atômica”, a leucemia.

Sua melhor amiga, Chizuko, foi visitá-la levando papéis de origami e contou para Sadako a lenda dos mil tsurus. Chizuko explicou que o tsuru era uma ave sagrada, que vivia mil anos e que, se uma pessoa dobrasse mil aves de papel, teria um desejo concedido.

Sadako cultivou a esperança de que os deuses lhe concederiam a cura e então passou a fazer os origamis com ajuda de sua família e amigos que iam visitá-la no hospital levando vários papéis coloridos para que completasse 1000 origamis do tsuru, junto com o pedido de cura. Como a doença se agravava a cada dia, Sadako começou a pedir pela paz mundial. Mas, no dia 25 de outubro de 1955, ao completar 964 tsurus, ela faleceu.

O mais importante é que Sadako nunca desistiu e continuou a dobrar enquanto pôde os papeizinhos em formato de tsuru.

Inspirados na sua coragem e força, seus amigos montaram e publicaram um livro com as cartas escritas por ela, completaram os 1000 tsurus e iniciaram uma campanha para arrecadar dinheiro para construir um monumento pela paz em homenagem a Sadako e a todas as crianças que morreram em consequência da bomba atômica.

Em 1958, a estátua de Sadako segurando um tsuru dourado foi construída no Parque da Paz em Hiroshima. Todos os anos, no dia 6 de agosto, dia do bombardeio, se faz uma cerimônia no parque, pela paz e para lembrar as vítimas de Hiroshima.

Crianças envolvidas na campanha fizeram um desejo que ficou escrito para sempre na estátua:

“Esse é o nosso grito. Essa é a nossa reza. Paz no mundo!”

A estátua de bronze possui nove metros, e tem a figura de uma menina segurando um grou gigante de papel. A estátua foi concluída no Dia das Crianças (05 de maio), em 1958, dois anos após a morte de Sadako Sasaki.

A história de Sadako atingiu mundo inteiro que foi criado um Parque da Paz localizado no Distrito da Universidade de Seattle, Construída por Floyd Schmoe, vencedor do Prêmio da Paz de Hiroshima em 1988, e dedicada no dia 6 de Agosto de 1990, 45 anos após o bombardeio, é uma estátua de bronze em tamanho real de Sadako Sasaki, esculpida por Daryl Smith (imagem abaixo)

Parque da Paz em Seatle

Estudantes e outros ao redor da cidade de Seattle e outros lugares frequentemente deixam cordas de Tsurus da paz na estátua, aparentemente seguindo o costume japonês dos ‘Mil Tsurus de Origami’

Um episódio marcante também foi o origami feito por Obama em maio de 2016, tornando-se o primeiro presidente americano em exercício do mandato a visitar Hiroshima, Obama deu 4 dobraduras de grou que havia feito de presente ao Museu Memorial da Paz de Hiroshima.

Uma das dobraduras foi emprestada ao Museu da Bomba Atômica de Nagasaki. Ela foi colocada em exposição em uma cerimônia, a dobradura acompanha uma cópia da mensagem escrita por Obama :

“Nós conhecemos as agonias da guerra. Agora, devemos encontrar a coragem, juntos, de disseminar a paz e buscar um mundo sem armas nucleares”.

O significado do tsuru por ainda ter uma história nos dias atuais tem muitas informações e você pode encontrar facilmente em qualquer estabelecimento que goste da cultura oriental.

Tsuru, sua história na prática

Abaixo ensino como fazer seu ritual de origami de tsuru e no decorrer do processo mentalize o que mais gostaria na sua vida .

E me conta o que sentiu, se algo dentro de você mudou e até mesmo se conseguiu realizar seu pedido e gostou conheça e acompanhe meu trabalho.


Esse artigo foi escrito por Millene Ishihara

MISHIHARA.COM

Tatuadora, artista plástica, terapeuta e ativista quântica, estudante da ancestralidade japonesa, com mais de dez anos de experiência em decoração oriental, fundadora do projeto Artes Quânticas e hoje faz parte da equipe do Studio Shimata Tattoo

Abaixo alguns trabalhos, com a imagem do Tsuru com desenhos autorais e artes na madeira com árvore genealógica em decoração de aniverário da Batian de 98 anos trazendo toda a história e contexto estudados de forma prática e aplicada a vida para honrar , agradecer a família.

Artes Quânticas de Millene Ishihara

%d blogueiros gostam disto: