Toshio Shimada

Tatuagem de sakura no Japão

Umas das flores mais tradicionais na tatuagem japonesa são as Sakuras, elas são quase um ícone da tatuagem. Muitas pessoas no Japão tatuam as sakuras devido toda a simbologia e significados que envolve estas belas flores.

A beleza da morte e da renovação na natureza são representadas como essas tatuagens japonesas (Irezumi) em uma grande escala as tatuagens são cobertas de sakura, as lindas flores da primavera japonesa. É incrível que uma pequena flor rosa aparentemente insignificante possa representar algo tão significativo quanto o ciclo de vida e morte.

No Japão, o significado e o simbolismo da tatuagem de flor de cerejeira pode se misturar, afinal, muitos japoneses são budistas, portanto, alguns dos significados das tatuagens se sobrepõem ao budismo e à cultura japonesa.

Existem também alguns aspectos que diferem tatuagens de sakura para homens e mulheres. Embora cada pessoa seja única, os dois sexos costumam ter certos estilos de tatuagens em flores de cerejeira. Freqüentemente, as mulheres entrelaçam suas tatuagens de flores de cerejeira com borboletas, a árvore Sakura, corações ou estrelas. Enquanto isso, os homens podem personalizar suas tatuagens com fogo, caveiras ou gueixas. Homens e mulheres costumam personalizar suas tatuagens com símbolos como peixes koi ou citações importantes. Cada pessoa é diferente, e uma tatuagem de flor de cerejeira pode ser usada para mostrar suas crenças pessoais ou personalidade única.

O local da tatuagem de sakura também difere, as flores de cerejeira simples podem ser extremamente pequenas e caber em qualquer parte do corpo. Para flores de cerejeira maiores ou uma árvore Sakura inteira, apenas alguns pontos são grandes o suficiente.

As flores de cerejeira podem simbolizar como a vida é transitória e como as coisas bonitas acabam morrendo. O vínculo com a mortalidade é extremamente simbólico e mostra a fragilidade da vida. Da mesma forma, essas tatuagens podem simbolizar a beleza passageira da existência. Na antiga arte da xilogravura, os japoneses costumam usar flores de cerejeira. Sua tatuagem pode simbolizar um amor perdido ou a beleza temporária da vida.

Curiosamente, a flor de cerejeira é considerada a flor nacional do Japão e é conhecida como “Sakura” em japonês. Uma vez que esta flor é freqüentemente usada como um símbolo cerimonial, ela também pode ser usada para decorar escritórios e casas. Algumas culturas japonesas, como os samurais, usam as flores de cerejeira para representar gotas de sangue. Eles também podem simbolizar a primavera, simplicidade e inocência.

Mais de três mil pés foram levados para os Estados Unidos e podem ser vistos nos jardins da Casa Branca. A cerejeira virou um grande símbolo de fraternidade.

A Lenda das Flores de Sakura

Segundo a lenda que conta sua história, uma bela princesa desceu dos céus e aterrissou em uma árvore de cerejeira. Acredita-se então que o nome sakura, na verdade, é derivado do nome da princesa Konohana Sakuya Hime, que significa “a princesa das árvores das flores abertas”. Outros já dizem que o nome da planta tem sua origem no cultivo de arroz e sua divindade (Sa). A segunda parte do nome, ‘kura’ , faria referência à sua morada.

As tatuagens de flores de cerejeira são uma escolha bastante popular. Enquanto algumas culturas as vêem como um sinal de primavera e juventude, outras culturas acreditam que eles representam o quão frágil a vida pode ser. Na cultura japonesa, essas tatuagens simbolizam a beleza.

Flor de cerejeira

O simbolismo de todas as flores de cerejeira pode significar “pureza”, “mulher elegante”, “beleza espiritual”.

Tipos de sakuras e seus respectivos significados:

  • Yoshino Some: Inocência, nobreza, beleza;
  • Yaezakura: Gentileza, beleza mental, plenitude, graça;
  • Yamazakura (Yamazakura): “aquilo/aquele que sorri para você”, adorabilidade;
  • Kanzakura: Família, união;
  • Fuyuzakura: Calma, serenidade;

Origem das flores de cerejeira

Diz-se que a origem da linguagem das flores é uma anedota (ficção) do presidente dos Estados Unidos, George Washington, e da cerejeira.
“Quando eu era menino, queria um machado, que pedi emprestado a um ferreiro, então cortei as flores de cerejeira que meu pai apreciava.” Então, seu pai lhe perguntou: “Você sabe quem cortou as lindas flores de cerejeira no jardim?”, George confessou honestamente, dizendo “Eu fiz isso”. “A verdade é mais valiosa do que uma cerejeira”.

A partir dessa história, parece que a linguagem das flores, como a “beleza espiritual”, que pode ser declarada honestamente, está anexada.

Hanami, o festival do Sakura

Apreciadores de flores de cerejeiras ao redor do mundo é o que não falta. Eles se reúnem em grupos e passam horas observando as belas paisagens que a primavera nos traz. A prática ganhou até nome: Hanami; visualização das flores de sakura.

O hábito já tem mais de dez séculos e exige a dedicação dos participantes, afinal, em cada região, o espetáculo só dura duas semanas. Para chegar no local e dia exatos, eles contam com a ajuda da Agência Meteorológica Japonesa, que informa até em boletins televisivos o momento do florescimento.

A prática é acompanhada de pique-nique e até mesmo saquê. Os mais desinibidos até cantam e dançam para celebrar a ocasião. Hoje, países como o Brasil e Estados Unidos também realizam o Hanami graças à iniciativa japonesa de distribuir mudas da árvore para diversas nações como prova de amizade no início do século XX.

Flores de cerejeira no Budismo

As flores de cerejeira florescem apenas por um curto período de tempo antes de desaparecer. Por isso, são um lembrete para viver o momento presente. Uma vez que este é um tema principal da filosofia budista, as tatuagens de flores de cerejeira são frequentemente utilizadas pelos budistas. Nesta religião, eles também podem simbolizar um maior conhecimento de si mesmo, trabalhando em direção à iluminação e sabedoria.

Dica de Viagem

Templos Kamakura 鎌倉

Kamakura na prefeitura de Kanagawa , sudoeste de Tóquio, foi o centro do poder político no Japão nos séculos 12 e 13, conhecido como o período Kamakura da história japonesa .

Como as antigas capitais de Nara e Kyoto , a cidade de Kamakura possui uma rica herança de templos e santuários históricos.

Vários dos principais templos de Kamakura pertencem à seita Zen do budismo japonês , refletindo o ethos guerreiro do samurai governante do período Kamakura . O Zen se tornou a religião predominante da casta guerreira, especialmente após a derrota dos invasores mongóis em 1274 e 1281.

Templo Hasedera 長 谷 観 音

O Templo de Hasedera é famoso por ter uma das maiores estátuas de madeira do Japão, a de Kannon, a Deusa da Misericórdia . Hoje, Hasedera pertence à seita Jodo do budismo japonês, após sua fundação inicial como um templo da seita Tendai. Segundo a lenda, o Templo de Hasedera foi fundado em 736. Isso ocorreu, segundo a história, depois que o monge Tokudo Shonin encontrou uma enorme árvore de cânfora nas florestas de Nara em 721.

3 Chome-11-2 Hase, Kamakura, Kanagawa 248-0016, Japan

Para mais informações, acesse o site do templo: https://www.hasedera.jp/en/

Um comentário

  • Marcio Munhóz

    #Toshio Shimada o mesmo que tatuador historiador filósofo, faz um exemplo de nos mostrar a sua cultura as tradições tanto do Brasil como de sua descendência japonesa é suas viagens pelo mundo,parabenizo pelo trabalho,muito bom mesmo.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: