A lenda do dragão de oito cabeças
Toshio Shimada

YAMATA-NO-OROCHI: A FAMOSA HISTÓRIA DO DRAGÃO DE OITO CABEÇAS | TATUAGENS JAPONESAS

O dragão de oito cabeça chamado de Orochi é o mais temível dragão da mitologia japonesa, esta criatura lendária tem uma de suas cabeças representando um elemento: fogo, água, terra, vento, veneno, trovão, luz e a escuridão do universo, seus olhos brilham como a luz do fogo e era um gigante, tanto que as histórias o descrevem com o tamanho de oito montanhas e oito vales, seu corpo, coberto de musgo verde como cedro, estava constantemente queimando como as chamas de um vulcão, rios de sangue correm ao seu redor e ele carregava um reluzente sino, cujo som era sinistro e temido pela população local.

Existe uma estátua de Susa-no-O e Yamata-no-Orochi (Estação Izumoshi)

O Yamata-no-Orochi é talvez o mais assustador de todos os muitos monstros mitológicos do Japão. Segundo o Kojiki (livro mais antigo sobre  história do Japão antigo), essa temível serpente tinha oito cabeças e oito caudas, com um corpo grande o suficiente para abranger oito vales e uma superfície de tal magnitude que nela cresciam musgos e arvores, diz-se que a barriga da fera estava coberta de feridas vermelhas e sangrentas, e seus olhos brilhavavam como a luz do fogo.

Até o nome da besta é estranho e misterioso, “Yamata” significa “oito garfos”, referindo-se ao tipo de garfo ramificado como de uma árvore.

Existe uma grande dúvida, essa fera sempre foi descrita como tendo oito cabeças, porem a besta poderia ter nove cabeças, já que “Ya”, que significa “oito”, também pode significar “um grande número”, o Yamata-no-Orochi pode ter sido uma serpente com muitos pescoços.

Com a combinação de uma aparência aterrorizante, grandes proporções e detalhes enigmáticos, essa criatura é perfeita para exercitar sua imaginação.

Gravura (cujo autor é desconhecido para mim) representando Susano e Yamata-no-Orochi (representado na forma de um Tatsu ou Ryu ). As taças cheias de saquê (na parte inferior da imagem) provam que esta é de fato a batalha entre os Kami das Tempestades e o Dragão de Koshi.

Dizem que o Yamata-no-Orochi fazia visitas frequentemente a vila de Izumo (localizada na atual província de Shimane) todos os anos para devorar meninas. Um ano, coube a Kushi-nada-hime ser sacrificada, a última de oito filhas, cujas irmãs morreram da mesma maneira antes dela, no entanto, ao saber da situação da menina, a divindade Susa-no-O se ofereceu para matar e dominar esta terrível fera em troca da mão de Kushi-nada-hime em casamento.

Em preparação para sua luta com a grande serpente, Susa-no-O preparou um saquê extremamente forte e serviu em oito jarras, quando Orochi chegou, enfiou uma cabeça em cada jarra e bebeu todo o saquê, que bêbado logo adormeceu, vendo a grande chance, Susa-no-O atacou a criatura, rasgando-a e cortando-a em pedaços e, finalmente matando a grande ferra.

Depois que Susa-no-O matou Orochi, ele notou uma espada magnífica aparecer da cauda da besta Susa-no-O pegou a lâmina e a ofereceu a Amaterasu no Céu, esta espada era Ame-no-Murakumo-no-Tsurugi, que mais tarde seria conhecida como Kusanagi-no-Tsurugi, um dos três tesouros sagrados do Regalia Imperial do Japão.

Desta forma, Susa-no-O derrotou Orochi, casou-se com Kushi-nada-hime e se estabeleceu para viver em Izumo.

As cobras e serpentes sempre foram vistas como divindades associadas à água por milênios e em muitas culturas, Yamata-no-Orochi não foi diferente, este ser é visto como o representante do rio Hii na província de Shimane, a aparição e eventual salvação neste mito de Kushi-nada-hime, que poderia ser considerada a deusa dos campos de arroz, sugere que o conto pode ser interpretado como aquele que se relaciona com a proteção das inundações provocadas pelas divindades da água em plantações. O mito também foi visto como relacionado à Idade do Ferro, pela barriga vermelho-sangue do Orochi lembrando as chamas da produção de ferro e a criação milagrosa de uma espada como a cauda da besta, significando o nascimento do armamento feito de ferro.

Um dos mitos dos hititas, a mais antiga cultura da Idade do Ferro no mundo, também fala de uma serpente, chamada Illuyanka, e sua morte pelo herói Hupasiyas. De acordo com esta história, Hupasiyas realizou um grande banquete para enganar Illuyanka a aparecer de um buraco no chão, Hupasiyas deu à serpente uma grande quantidade de comida e vinho e então atacou e matou a fera, uma vez que ela ficou muito gorda para escapar de volta pelo buraco. Este antigo mito tem muito em comum com o conto de Orochi, com ambas as criaturas encontrando um fim violento nas mãos de heróis astutos que usam a generosidade da terra para derrotá-los.

A história de Orochi também reflete em parte o famoso mito grego de Perseu e Andrômeda, no qual um herói luta e derrota uma grande fera para salvar e depois se casar com uma mulher entregue como sacrifício, este é um tema comum em muitos contos heróicos de todo o mundo e vive hoje em histórias de donzelas sendo resgatadas de dragões por príncipes.

O mito de Yamata-no-Orochi traz consigo uma grande variedade de temas, alguns específicos da cultura japonesa e outros de ressonância mais universal. Este conto reflete o fascínio humano pelo encontro da terra e da água, e até mesmo a herança comum das civilizações orientais e ocidentais. Podemos dizer que para pesquisar sobre esta história não faltam artigos espalhados pela internet, muitos animes estão inspirados nestas lenda que envolvem os dragões.

Até os dias de hoje a existências dessas criaturas continua sendo um mistério que só conhecemos através de historias!

My name is Toshio Shimada and I’m a tattoo artist. I was born in Brazil and I now live in Japan. My parents in of European and Japanese in origin. I started tattooing in Brazil with my father in 1985. In 1994 I opened my own studio in Japan. My style of tattoo is called Wabori (Japanese style) and also Tebori style that uses bamboo sticks bundled together forming many needles at the top. I use my own Tebori too for some events. My tattoo drawings of demons and dragons have many stories. As tattoo artists in Japan we work in groups. Due to the strong sense of community in the Japanese culture. also I work with another artist from different country . I worked in Gunma prefecture, north of Tokyo for several years and now Yuuji Motegi is working there. I have a studio in Tokyo Shibuya, where I do my work when I'm in Japan. I work mostly in traditional Japanese styles, sometimes the old school “sailors tattoo” style. I have worked in various places around the world. Some of these places include Rome, Lisbon, Valencia, Barcelona, Ibiza, Madrid, New York, Miami, Bangkok London and Leeds UK. Sometimes I work in Los Angeles doing private tattooing and working on new designs. I enjoy participating in various tattoo conventions all around the world. I am interested any opportnities which may come along. 島田俊夫  私は日本人とブラジル人のハーフです。 1985年から父の店にてプロの彫師としてのキャリアをスタートしました。 1994年に群馬県大泉町に、2001年に東京都渋谷区に店をオープンしました。 これまでにイタリア、スペイン、ロサンゼルス、ニュウーヨーク.......等さまざまな国を訪れいろんな国際タトゥーコンベンショんに  参加してきました。 現在は東京都渋谷区に籍を置き、和彫りを中心に活動を行っております。

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: