Toshio Shimada

Dragões, conheça mais sobre a lendária história do dragão japonês. Ryū ( 龍 “dragão” )

No ocidente, os dragões são criaturas gananciosas, cuspidores de fogo, habitante de cavernas e assustadoras, como barradas nas histórias de origem européia. Na tatuagem quando se fala em dragão, logo vem a mente a imagem do dragão asiático, este ser simboliza algo muito diferente. Os dragões orientais são seres que estão ligados à natureza e vivem tanto no ar, na terra ou na água. Normalmente incorporando por muita sabedoria, força e as forças do universo para o benefício dos humanos.

A cara do dragão oriental geralmente não é de uma criatura muito carismática, mas pode ser diferente de dragão para dragão, elas são sempre com a expressão de um ser muito nervoso e assustador. O dragão tem as características dos animais que encontramos hoje na natureza. Os olhos se parece com o de um demônio mas são os da águia ou até mesmo de um galo, enquanto as orelhas são de um coelho aqueles tipo de Porquinho-da-Índia, o pescoço e a barriga de uma cobra (serpente), os chifres são de veado e as escamas de um koi (Carpa). Suas garras são da águia ou do galo. A lenda diz que ele pode ser atraído pelo toque musical de um sino ou de uma flauta. O dragão asiático geralmente é o portador de bênçãos profundas ligada ao poder da natureza como o vento e a chuva. O dragão é geralmente uma aspiração às qualidades de grande bondade, sabedoria e o poder do bem.

O dragão é sempre visto com as cores em suas escamas mas são somente os que tem pelo menos 500 anos de idade, os dragões mais jovens ainda não tem ou não desenvolveram escamas coloridas. O dragão pode viver por cerca de até 1000 anos ou mais e ao completar essa idade ele pode desenvolver asas com penas coloridas, semelhante à aparência das asas da fênix japonesa. ( Hou-ou 鳳凰 )

Dragão japonês, de 
Utagawa Kuniyoshi com asas e penas coloridas

Além disso, o dragão oriental não é muitas vezes uma besta astuciosamente malévola. Em vez disso, é força combinada com sabedoria e geralmente é benevolente. A pessoa que escolhe se tatuar com a imagem do dragão, geralmente acaba por se influenciar as qualidades de integridade e sabedoria.

O dragão também pode agarrar com uma de suas patas um objeto que é mostrado de várias maneiras como uma esfera (Bola), uma pérola ou uma jóia, também conhecido como “a forma de lótus fechada”, a essência do universo, a fim de controlar os ventos, chuvas, fogo e até os planetas. Este item é visto em vários designs budistas, incluindo templos e lápides. Ele representa a essência espiritual do universo, pela qual o dragão o controla e o protege daqueles que podem usurpar esses poderes.

Ryūjin ( 龍神 , “deus dragão” )

Ryūjin ou Ryōjin ( 龍神 “deus dragão” ) , que em algumas tradições é equivalente a Owatatsumi , era a divindade tutelar do mar na mitologia japonesa . Este dragão japonês simbolizava o poder do oceano , tinha uma grande boca, e foi capaz de se transformar em um humano forma. Ryūjin viveu em Ryugu-jo , seu palácio sob o mar construído a partir de vermelho e branco coral , de onde ele controlava as marés com mágicas jóias da maré. Tartarugas marinhas, peixes e medusas são descritos frequentemente como servos de Ryūjin.

Ryūjin era o pai da bela deusa Otohime que se casou com o caçador príncipe Hoori. O primeiro imperador do Japão , o imperador Jimmu , é dito ter sido um neto de Otohime e Hoori . Assim, Ryūjin é dito ser um dos antepassados da dinastia imperial japonesa.

Os dragões japoneses ( 日本 の 竜 , Nihon no ryū )

Os dragões no Japão são criaturas lendárias que muito populares que existem na mitologia e no folclore japoneses. Os mitos de dragões japoneses vem de lendas nativas e com histórias sobre dragões da China e da Coréia. O estilo do dragão feito no japao foi fortemente influenciado pelos dragões chinês. Como esses outros dragões do Leste Asiático, a maioria dos japoneses são divindades aquáticas associadas com chuvas e ligada a agua dos rios e mares, e são tipicamente descritos como grandes criaturas serpentinas muitas vezes sem asas com pés e garras muito fortes. Na lingua japonesa tem inúmeras palavras referentes ao “dragão”, incluindo Tatsu indígena do antigo japonês ta-tu , Sino-japonês ryū ou ryō  do chinês lóng , nāgaナ ー ガ do sânscrito nāga e doragonド ラ ゴ ン do inglês ” Dragon ” (o último sendo usado quase exclusivamente para se referir ao dragão europeu e criaturas ficcionais derivadas).

Dragões japoneses e suas variações das lendas locais

Nos livros de C. 680 AD Kojiki e o c. 720 DC as mito-histórias de Nihongi têm as primeiras referências textuais japonesas aos dragões. “Nos textos mais antigos, os dragões são mencionados de várias maneiras”, principalmente como deuses da água, em forma de serpente ou mesmo na forma de dragão.” O Kojiki e o Nihongi mencionam vários dragões antigos:

  • Kiyohime 清 姫 “Uma bela mulher” era uma atendente de uma casa de chá que se apaixonou por um jovem sacerdote budista. Depois que ele a rejeitou, ela com toda sua energia possuída pela raiva e ciúmes, se transformou em uma serpente em forma de um dragão e se suicidou com o fogo levando junto seu amado monge.
  • Nure-onna (濡 女 “Mulher Molhada”) era um dragão com cabeça de mulher e corpo de cobra. Ela normalmente era vista enquanto lavava o cabelo na margem de um rio e às vezes matava humanos quando estava com raiva.
  • Zennyo Ryūō (善 如 龍王 “Rei dragão bondoso”) era um deus da chuva descrito como um dragão com uma cobra em sua cabeça ou como um humano com uma cauda de cobra.
  • No livro de ” My Lord Bag of Rice “, o Ryūō 龍王, “dragão rei” do Lago Biwa . O Lago Biwa é um lago antigo , com mais de 4 milhões de anos.  Estima-se que seja o 13º lago mais antigo do mundo, localizado na província de Shiga. Onde Ryūō 龍王 ajuda o herói Tawara Tōda 田原 藤 太 para matar uma centopéia gigante.
  • Urashima Tarō resgatou uma tartaruga que o levou para Ryūgū-jō e se transformou na atraente filha do deus do oceano Ryūjin.

Dica de viagem

O templo Tenryu-ji foi estabelecido em 1339 pelo shogun Ashikaga Takauji (1305-1358) em memória do imperador Go-Daigo (1288-1339), com o eminente mestre zen Muso Soseki (1275-1351) As terras foram doações feitas por locais. Isso para ajudar a financiar a construção do templo, mas somente as terras não foram suficientes, Muso Soseki e Ashikaga Tadayoshi elaboraram um plano para enviar dois navios mercantes para a China e com isso usar os lucros resultantes para concluir a construção de Tenryu-ji. Este plano foi um grande sucesso, e o templo foi oficialmente consagrado em 1345. Foi escolhido entre as Cinco Montanhas de Kyoto ele o primeiro templo (os cinco principais templos Zen da cidade), uma classificação que mantém até os dias atuais.

A destruição por oito grandes incêndios

Desde a sua fundação, Tenryu-ji foi devastado por oito grandes incêndios, em 1358, 1367, 1373, 1380, 1447, 1468, 1815 e 1864. Dos primeiros incêndios, os de 1445 e 1468 foram particularmente graves, e não foi até o shogun Toyotomi Hideyoshi (1536-1598) forneceu apoio financeiro em 1585 para que pudesse reconstruir o templo. Tenryu-ji teve outra grande destruicão em 1815 e sofreu mais danos no grande incêndio de 1864, resultado dos combates que precederam ao fim do período feudal em 1868. Então, em 1877, como Tenryu-ji ainda estava em processo de reconstrução, a maior parte dos quatro quilômetros quadrados de terra cultivada de propriedade do templo no distrito de Sagano foi confiscada pelo governo Meiji. Isso deixou Tenryu-ji com menos de um décimo da propriedade que possuía anteriormente.

Restauração dos templos

Apesar desses contratempos, Tenryu-ji continuou seus esforços de reconstrução até o final do século XIX. O Zendo (sala de meditação Zen), o único edifício que sobreviveu ao incêndio de 1864, foi movido durante o final do século XIX para servir como um substituto para o Hatto (sala de palestras) e Butsuden (sala do Buda), e em 1900 o novo Hojo (salão principal) e Kuri (aposentos) foram concluídos. A reconstrução do Kohojo (sala de recepção) foi concluída em 1924. Seguiu-se em 1934 a consagração de um novo Tahoden (santuário em homenagem ao imperador Go-Daigo) e a construção das casas de chá Shoun-kaku e Kan’u-tei. Isso trouxe Tenryu-ji a uma forma próxima ao que vemos hoje.

O dragão das nuvens no teto do Hatto de Tenryu-ji foi pintado em 1997 pelo renomado artista de nihonga – nihon (Japão) ga(Arte) Kayama Matazo (1927-2004), como um dos projetos que comemoram o 650º aniversário da morte do fundador de Tenryu-ji, Muso Kokushi.

A primeira etapa do projeto foi cobrir o teto de 12,6 x 10,6 metros do Hatto com 159 tábuas de cipreste, cada uma com 3 centímetros de espessura. Elas foram envernizadas e cobertas com uma camada de gesso caulim, depois foi aplicada em um círculo de nove metros de largura. Isso serviu de base para a pintura. O Cloud Dragon é transformado no estilo happo nirami , no qual o dragão parece estar olhando diretamente para o observador de onde quer que seja visto no Hatto.

O atual Cloud Dragon substitui um anterior pintado pelo artista japonês Suzuki Shonen na época em que o Hatto foi transferido para sua localização atual no início do período Meiji. E nos anos 90, essa pintura já havia se deteriorado a ponto de não poder ser restaurada, então uma nova pintura foi encomendada. Uma parte do dragão de Suzuki foi preservada, no entanto é exibida publicamente no Daihojo todo mês de fevereiro.

Como chegar ao Templo Tenryu-ji

Saindo da estação TrainHankyu-Kyoto Line para a estação TrainHankyu-Arashiyama Line  Walk from Kyoto-Kawaramachi Station ¥230 (cerca de USD 2,20) os trens circulam a cada 13 min a 15 min (tempo estimado para chegar ao templo de trem e de 30 min)

Caso você preferir ir de carro ou taxi, o tempo estimado é de 20 minutos (aprox. 10km)

As tarifas de táxi do Japão são maiores do que em outros países. Variam conforme a região, mas normalmente são cobrados a cada 2.0 km entre 600-700 (USD 5,70 a 6,70) ienes por bandeirada.

Vale a pena lembrar que geralmente os taxistas só recebem pagamento em dinheiro.

Endereço: Japão, 〒616-8385 Kyoto, Ukyo Ward, Sagatenryuji Susukinobabacho, ⋅ Abre às 08:30 ou 9h00 até as 16h30 no Verão, última admissão às 16h20 portanto chegue bem antes do horário de fechamento do local.
  9h00 até as 16h00 no Inverno que vai de (21 de outubro a 20 de março)
  [última admissão às 15h50] ¥ 500 (a taxa de admissão de Hatto é separada da taxa do jardim e do edifícios de Tenryu-ji).
Sem custo para pré-escolares

My name is Toshio Shimada and I’m a tattoo artist. I was born in Brazil and I now live in Japan. My parents in of European and Japanese in origin. I started tattooing in Brazil with my father in 1985. In 1994 I opened my own studio in Japan. My style of tattoo is called Wabori (Japanese style) and also Tebori style that uses bamboo sticks bundled together forming many needles at the top. I use my own Tebori too for some events. My tattoo drawings of demons and dragons have many stories. As tattoo artists in Japan we work in groups. Due to the strong sense of community in the Japanese culture. also I work with another artist from different country . I worked in Gunma prefecture, north of Tokyo for several years and now Yuuji Motegi is working there. I have a studio in Tokyo Shibuya, where I do my work when I'm in Japan. I work mostly in traditional Japanese styles, sometimes the old school “sailors tattoo” style. I have worked in various places around the world. Some of these places include Rome, Lisbon, Valencia, Barcelona, Ibiza, Madrid, New York, Miami, Bangkok London and Leeds UK. Sometimes I work in Los Angeles doing private tattooing and working on new designs. I enjoy participating in various tattoo conventions all around the world. I am interested any opportnities which may come along. 島田俊夫  私は日本人とブラジル人のハーフです。 1985年から父の店にてプロの彫師としてのキャリアをスタートしました。 1994年に群馬県大泉町に、2001年に東京都渋谷区に店をオープンしました。 これまでにイタリア、スペイン、ロサンゼルス、ニュウーヨーク.......等さまざまな国を訪れいろんな国際タトゥーコンベンショんに  参加してきました。 現在は東京都渋谷区に籍を置き、和彫りを中心に活動を行っております。

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: