Página 2 de 3

Máscara Hannya

As máscaras de Hannya tiveram origem no teatro Nõ japonês, que é um tipo clássico de espetáculo de arte, combinando interpretação, canto e poesia.

O teatro ou Noh existe desde o século XIV e normalmente a narrativa é composta por um protagonista (shite) que utiliza uma máscara, um coadjuvante (waki), um ator cômico (kyōgen), um coro e instrumentos musicais. É composto apenas por atores homens, que usam máscaras para representar figuras femininas, no total são mais de 200 máscaras diferentes, que originalmente eram feitas de madeira.

noh1

De todas as máscaras,  uma das que mais se popularizou  foi a da Hannya, que deriva da lenda de uma mulher que após ser enganada por seus entes queridos,  foi consumida por ódio e ciúmes e se transforma em uma espécie de “demônio” com chifres, dentes afiados e aparência assustadora.

Hannya_Blog.jpg
Ilustração por Toshio Shimada

Ainda de acordo com as lendas, existem diferentes representações, por isso é comum ver Hannyas com aspecto mais humano e outras já com aspecto mais demoníaco.

No Japão, a máscara da Hannya simboliza sorte e proteção, como se a feição monstruosa espantasse energias ruins, porém foi  no Ocidente que ela se tornou um frequente tema de tatuagens, e é um dos desenhos mais procurados para composições de trabalhos com a temática oriental.

Texto por Rafael Lucente

Anúncios

Dragão japonês

O dragão japonês (Ryu) é uma besta mitológica semelhante aos dragões chineses e coreanos. Ao contrário do que acontece no Ocidente, no oriente os dragões são considerados criaturas benignas e estão associados a poder, sabedoria, força e proteção.

Seu corpo é formado a partir de  partes de diversos animais, tendo a cabeça de crocodilo, corpo de serpente, escamas e patas de lagartos e 3 garras de águias, diferentes do coreano e chinês que podem ser representados com 4 e 5 garras, respectivamente.

img_9121
Escultura dragão japonês

As lendas e histórias foram trazidas da China (onde por muito tempo sua representação era destinada exclusivamente ao imperador) adaptadas pelo povo japonês e difundidas ao longo dos anos, na maioria dos casos as lendas se referem a dragões que podem controlar as águas e as chuvas. Por habitarem rios e mares, acredita-se que maremotos e terremotos podem ser originados devido a movimentação desses grandes seres.

Os desenhos e ilustrações de dragões foram criadas muito tempo depois das histórias em si, e é comum ver dragões segurando uma esfera, que representa uma espécie de energia e está associada à criação, onde apenas os bons conseguem absorver e aproveitá-la.

img_9334-2
Ilustração feita por Toshio Shimada

Devido a toda sua história e importante significado na mitologia asiática o dragão é um dos desenhos mais pedidos e sempre resulta em tatuagens incríveis como esta feita em um de nossos clientes.

dragao-shimada
Tatuagem por Toshio Shimada

 

Texto por Rafael Lucente

Sak Yant – tatuagem sagrada

A Sak Yant é uma tatuagem sagrada feita por monges budistas há mais de 2.000 anos. Na Tailândia os antigos guerreiros recebiam tatuagens a fim de garantir força e proteção nas batalhas, esse tipo de ritual acabou se difundindo ao longo dos anos, e hoje em dia qualquer um pode fazer uma Sak Yant.

yantra-tattoo_3
Sak Yant nas costas

A tatuagem sagrada, como também é conhecida, normalmente é feita com bambu (técnica semelhante ao tebori japonês) e realizada por um monge, que recebe o nome de Ajarn. Chegando em algum templo a pessoa deverá escolher o “monge tatuador” que mais lhe transmitir energias boas.

O desenho a ser feito é escolhido pelo próprio monge, que a partir de uma conversa com a pessoa a ser tatuada, define o símbolo que mais tem a ver com cada história de vida. Normalmente os símbolos representam sucesso, carisma, força física, sorte e proteção em geral e o pagamento é feito em doações e oferendas (flores, incensos) colocados em uma cestinha.

yantra-tattoo_1
Sak Yant

De acordo com a tradição, após ter uma Sak Yant, a pessoa deve seguir algumas “regras”, que basicamente seguem a doutrina budista: não matar, não mentir, não roubar e não cometer adultério. Caso alguma das regras seja quebrada, a tatuagem perde seus “poderes”.

Aqui você pode conferir um vídeo e ver como é feito o ritual: Sak Yant

Texto por Rafael Lucente

Kapala – Caveira tibetana

A caveira tibetana ou Kapala (ཀ་པ་ལ), está associada à rituais budistas, esta prática consiste em esculpir e ornamentar com jóias o crânio de uma pessoa morta, após esse processo, o crânio se torna uma espécie de receptáculo ou tigela, onde a pessoa que beba nela adquira o conhecimento e personalidade do dono do crânio.

Hoje em dia, principalmente no Ocidente, as Kapalas são usadas como enfeites ou artigos de luxo, podendo custar mais de R$2.000,00.


Na década de 90 o artista  Filip Leu, que é referência entre os tatuadores, foi um dos primeiros a tatuar Kapalas, a partir disso, o tema foi se popularizando bastante e cada vez mais clientes se interessam por tatuagens sobre este tema.

kapala.png
Tatuagem Kapala (em progresso) por Toshio Shimada

Texto por Rafael Lucente

Kintaro

1200px-Sakata_Kaidomaru

Sakata Kintoki, Sakata Kaidomaru ou Kintaro. (menino dourado). Nascido em meados de 956. Ano Tenryaku 10, na cidade de Nagahama, Sakata província de Shiga-ken Japão. Filho de criação da princesa Yaegiri, filha de Shiman-chouja da aldeia de Jizodo, próximo ao monte Ashigara. Foi amaldiçoada pelo poderoso dragão vermelho. A princesa Yaegiri, por causa de sua horrível aparência, decidiu se isolar na montanha Ashigara,  onde encontrou um bebê de aspecto avermelhado. O criou em total contato com a natureza, desde muito pequeno Kintaro, apresentava uma disposição e força incrível, seu passatempo favorito eram  lutas de sumo com os animais, pois até então Kintaro não tinha contato com outros seres humanos além de sua mãe.

Todos  temiam encontrar pelo monte Ashigara, a princesa Yaegiri, que era conhecida por sua aparência como “A Bruxa de Ashigara”. Conta em sua lenda que após derrotar os demônios de Ashigara usando apenas uma machadinha. Caminhava para a fase adulta, levado por aldrões a presença de Minamoto Yamorimitsu, impressionado com a força do garoto o tornou como guarda de sua segurança pessoal. Kintoro acompanhou Minamoto Yorimitsu em suas viagens, Em Kyoto Kintaro estudou artes marciais e liderou por muitos anos o grupo Shitenou. Após o contato com Minamoto-no Yorimitsu Kintaro passou a se chamar Sakata Kintoki, ou Sakata Kaidomaru. Kintaro é uma figura muito importante no teatro Kabuki e Noh.

Texto e desenho feito por Felipe Yaemori.

Simbologia da Flor de Lótus

Desenho01 copy

Tatuagem Flor de Lótus

A tatuagem de Flor de Lótus é muito procurada pelas pessoas, não só apenas pelo seu significado, e sim também pela sua estética. Por ser uma flor bela, e apreciada.

Ela cresce na água enlameada e é nesse ambiente que se dá o seu primeiro e mais literal significado da flor: emergir da escuridão para atingir a iluminação. Portanto, geralmente são escolhidas como forma de mostrar que a pessoa tatuada, conseguiu superar as dificuldades e seguiu com sua vida.

Representa tambem longevidade e fortuna no budismo. Sua tatuagem é mais associada à pureza e beleza natural e por este motivo é mais frequente em mulheres. Porém também é apreciado pelo público masculino, que geralmente tatuam a Flor de Lótus juntamente à carpa (peixe koi), outro grande símbolo japonês do individualismo e da força.

Significados e simbolismo da Flor de Lotus 

A Flor de Lótus é uma flor aquática com muitos significados para os países do Ásia, especialmente o Japão, o Egito e a Índia. Ela é considerada sagrada e um dos símbolos mais antigos e mais profundos do nosso planeta. Nos ensinamentos do budismo e hinduísmo, a flor de lótus simboliza o nascimento divino, o crescimento espiritual e a pureza do coração e da mente.

O significado da flor de lótus começa em suas raízes – literalmente! Ela é um tipo de lírio d’água, cujas raízes estão fundamentadas em meio à lama e ao lodo de lagoas e lagos. O lótus vai subindo à superfície para florescer com notável beleza. O simbolismo está especialmente nesta capacidade de enfrentar a escuridão e florescer tão limpa, tão bonita e tão especial para tantas pessoas.

Significado das cores das flores de Lótus

Os budistas acreditam que a flor de lótus representa a sua transformação espiritual, o progresso da alma até alcançar o auge da iluminação. Suas raízes nascem no lodo e seu caule vai se desenvolvendo na água lamacenta até completar o seu desenvolvimento total, que é quando o botão emerge na superfície da água para desabrochar ao sol. Suas pétalas se fecham e ela submerge durante as noites.

A flor de lótus é sagrada, considerada um símbolo proeminente em muitas culturas asiáticas, com muitos significados associados. Possui um forte simbolismo no Budismo, onde é comum ver a representação do Buda em meditação, sentado dentro de uma flor de lótus. Essa flor representa a superação da dor e do sofrimento do mundo físico ao alcançar a iluminação do mundo espiritual.

Read more: http://www.japaoemfoco.com/flor-de-lotus-significado/#ixzz3IP2Qw60

0

Tatuagens em Campinas com Toshio Shimada

toshio_shimada

Toshio Shimada estará tatuando com Luís Marchioni (Trash) na cidade de Campinas.

A parceria surgiu a partir inquietação dos dois artistas quanto a cena atual das tatuagens e  a grande procura de tatuagens no estilo oriental pelos clientes das cidades de Campinas e região.Toshio Shimada nos últimos anos tem visitado o Brasil para dar continuidade a trabalhos começados em clientes que residiam no Japão e voltaram para o Brasil, entre outros, assim como nos outros países aonde trabalha.

Devido a grande concentração da comunidade nipônica na região de Campinas o estúdio de Luís Marchioni (Trash) ofereceu uma parceria a Toshio Shimada para que este possa continuar desenvolvendo seus trabalhos tendo uma base fixa no Brasil.

O estúdio já oferece uma grande variedade de estilos feitos por Luís, assim como maquiagem definitiva e body piercing preciso por Cristiane Mofatto.  Em atividade desde o ano de 1996 e  localizado a rua Barreto Leme, 1318 , próximo a Prefeitura de Campinas, o estúdio está aberto de terça a sabado.

A idéia de Toshio e Luís é oferecer uma variedade de estilos e desenhos de tatuagens artísticas tendo como base os desenhos tradicionais das tatuagens japonesas e americanas, tribais inspirados nas culturas tradicionais da Polinésia, América do Norte, América do Sul e Africa, além de estilos mais contempôraneos como o neo realismo, aquarelas e pop arte.

O estúdio reformulado vem para mudar o conceito de tatuagem em Campinas, adequando-o à ideia da tatuagem como tradição e corrente artística contemporânea, muito além de esteticismo, fazendo referência à rica história desta prática milenar.

Daruma Tattoo Significados

Daruma_Tattoo_Shimada

Significado do Daruma

O Daruma (darumá), também conhecido como Dharma, é um boneco redondo e oco, feito artesanalmente e geralmente da cor vermelha, mas podem ser encontrados em outras cores também. Esse boneco faz referência ao Bodhidharma, fundador da Seita Zen do budismo. Mas por que a cor vermelha? O que essa cor representa?

A cor vermelha representa o manto de um sacerdote de alto nível e segundo as superstições, essa cor afasta o “mau olhado” e doenças. Apesar de ser considerado um Omocha, que significa brinquedo, Daruma é rico em simbolismo e é considerado um talismã de boa sorte e símbolo de perseverança para os japoneses.

Significados das cores do Daruma

Vermelho: boa sorte, felicidade
Azul: saúde, longevidade
Amarelo: segurança
Preto: fortuna, prosperidade
Branco: Amor, Harmonia

Por que o Daruma não tem olhos?

Segundo a lenda, quando o monge indiano Bodhidharma, embrenhou-se em uma caverna para passar nove anos meditando, ele teve que combater a sonolência. Ele pensou:

“Por eu ter olhos, as pálpebras caem sobre eles e eu começo a cochilar.”

Então, em um ato ousado, cortou suas pálpebras para se manter acordado.

A lenda diz que após esses 9 anos de meditação, Bodhidharma atingiu o tão desejado ”estado de iluminação”, ou seja, ver com a mente, ao invés dos olhos. Foi assim que ficou relacionada à esperança e a realização de sonhos devido a paciencia, perseverança e obstinação.

Por esta razão, os bonecos são vendidos sem olhos, e segundo a tradição, você deve pintar um olho e fazer um pedido e só quando seu desejo for realizado, que você pintará o outro olho.
Após seu pedido ser atendido e o olho pintado, a tradição manda queimar o Daruma. E aí, você poderá comprar um novo e seguir esse ritual anualmente, de preferência no começo do ano, para começar um novo ciclo de sorte e prosperidade.

Por que o Daruma tem a forma arrendondada?

O amuleto Daruma não possui braços ou pernas. Isso mostra a influência do real Daruma Daishi sentado em longos anos de meditação, onde as pernas e braços estão encolhidos e atrofiados sob o manto vermelho. Também não se consegue deitar o boneco, uma vez que sua forma é arrendondada e possue uma base mais pesada que o resto do corpo. Isso também traz um significado importante, que não podemos “jamais desistir” dos nossos objetivos.
Tanto que há um provérbio japonês que se diz:
“Nana korobi, ya oki”, que quer dizer: “Caia 7 vezes, mas levante 8 vezes”.
Sombrancelhas e barbas do Daruma
Em Takasaki-shi, província de Gunma Ken, existe um santuário especial aos Daruma. Diversos artesãos trabalham na confecção dos amuletos, que geralmente são feitos em papel machê.
A barba e sobrancelhas do Daruma são pincelados artesanalmente. As sobrancelhas são pintadas de forma que lembre o pássaro tsuru e a barba em forma de uma tartaruga (kame), dois símbolos de vida longa no Japão.

fontes do site http://www.japaoemfoco.com

 

TOKYO TATTOO By MARTHA COOPER

TOKYO TATTOO By MARTHA COOPER

In 1970, as a young photographer, Martha Cooper moved from the USA to Tokyo and became fascinated with Irezumi, the art of Japanese tattooing. This great shot from Martha’s Tokyo Tattoo 1970 book represents one of the many gems captured during her stay abroad. Featured are a young couple being tattooed by Japanese tattoo master Bunzo Yamada aka Horibun I in the town of Okachimachi.
The work of a traditional Japanese tattoo master in 1970 In 1970, photographer Martha Cooper came to Tokyo and immediately focused on documenting traditional Japanese tattooist Horibun I. Tokyo Tattoo 1970 is a book about the traditional art of tattooing and a portrait of a master artist. Japanese tattoo was a secret art form in the early 1970s. The masters of the traditional techniques were working in small studios, and tattooing was something for a distinguished few. No one could foresee the incredible rise of the art of tattoo internationally in the past 20 years. Horibun I worked with traditional Japanese methods, tattoos made by hand, with different sized needles bound to sticks which he dipped into coloured inks. His motifs were all derived from traditional Japanese legends. Horibun I was a rare tattooist, as he was open to letting a foreigner come to photograph him and his customers. Tokyo Tattoo 1970 tells the story of a Japanese tattoo master and his work. We see him at work, meet his customers, who show their tattoos, and follow Horibun on a pilgrimage to a holy Shinto shrine. Martha Cooper’s pictures show the process of the tattooist’s work as well as finished motifs from an era long gone. Tokyo Tattoo was Martha Cooper’s first study of a subculture, which launched her on a ten-year-long immersion into the graffiti and street art of New York City.

New York Tattoo Convention 2012

New York Tattoo Convention 2012

I’ll be in new york this weekend for tattoo convention, if you are interested in tattoo please let me know. thank you!

The 15th Annual
New York City Tattoo Convention
May 18th, 19th & 20th 2012